Sem gratidão

Mudança no miúdo, no olhar, no gerar: memórias, receios, indicações, falsas intuições, ou qualquer forma de pessoa que se impõe na intimidade do pensamento como Guia – detectar após cuidar dos campos e morros da sinceridade própria.

Desvelar a origem do gesto, habitar presente a origem de uma imagem. Desautorizar qualquer potencial de comando vindo das feridas históricas. Criar coragem e franqueza do tamanho suficiente para acabar com o desejo de vencer, de ver alguém na derrota. A valentia para calar a voz do indivíduo. “Cada bairro era uma naçãozinha”.

Deslegitimar o ocidente, o oriente, descartar a essência. Escutar do vazio, colocar o corpo no riso de dançar o mais bonito que pode no cenário da falta de credibilidade midiática, olhar debaixo o dólar nas alturas,  zombar do mau humor da Moody`s.

Com a queda das  máscaras, fiquemos aliviados do fardo de respondermos cotidianamente – toda a vida – pelas irresponsabilidades que quiseram vestir nas nossas faces.